Moça bonita abraçando um cão da raça chow-chow

Surge geralmente pelo gostar, depois pela convivência e, em seguida, pela retribuição de carinho do animal de estimação. Com o tempo, é natural ligar o que era amizade pelo bichinho com a possibilidade de trabalhar com animais, de ser remunerado por algo que fazia por amor.

Mas essa escolha é só o começo: o importante é que haja uma busca pela profissão que mais se identifique com o que deseja. Quer saber mais sobre profissões para trabalhar com animais? Então acompanhe nosso post de hoje e venha entender o quão incrível pode ser esse trabalho!

Gostar de animais não é o bastante

O título deste tópico é autoexplicativo. Não é, e nunca será, o suficiente apenas gostar de animais. Na realidade, o “porque gosto” pode mais atrapalhar do que ajudar.

Não é surpresa que o “gostar” de hoje se torne o “detestar” de amanhã, seja por não se adaptar a rotina de estudante na área, seja por não concordar com a remuneração ou pelo mercado ser muito difícil.

Mas o “porque gosto” não é uma resposta limitada aos que desejam trabalhar com animais, sendo esta a resposta de quem estuda Jornalismo (porque gosto de escrever!), Engenharia Civil (porque gosto de construir!), Letras (porque gosto de Literatura!), assim por diante.

Os tipos de profissão

Afinal, quais as profissões em que se pode trabalhar com animais? A lista é enorme e a tendência é que, quanto mais se pesquise, mais profissões surjam. Porém, as mais conhecidas são a Medicina Veterinária, a Zootecnia, as Ciências Biológicas, a Oceanografia e a Ecologia.

Por isso, é muito importante que o futuro estudante de graduação conheça seu perfil, leia muito sobre o curso e, com isso, tome a decisão que melhor se identifique com o que deseja

Os campos são vastos e a potencialidade de crescimento nessas áreas é maior ainda. O Brasil tem mais de oito mil quilômetros de litoral, uma fauna fantástica, animais de pequeno a grande porte, enfim, é um mundo dentro de um país!

Os campos de pesquisa

A pesquisa é a base para o progresso tanto do profissional quanto da profissão. Infelizmente, a grande natureza brasileira não é refletida nos investimentos em pesquisa e extensão. Mas nada impede que isso mude.

Ao escolher uma profissão e iniciar o estudo na área, deve-se ter como prioridade a aplicação em pesquisa, em desenvolvimento de tecnologias e na preocupação com o bem-estar animal. Este é um ponto que tardou a ser atendido, no entanto, pode ser explorado maravilhosamente bem, tanto quando o foco é a vida do indivíduo em seu habitat quanto no processo de industrialização da proteína animal.

Paciência para trabalhar com animais

A paciência deve ser levada a sério para quem sonha com uma dessas carreiras. Ela deve ser considerada em vários momentos do processo de estudo: da leitura de um livro extenso e complexo até manipulação de fezes e do sangue dos animais.

Muitos acreditam que, por trabalhar com cavalos, poderá sentir os cabelos ao vento e o galope todos os dias (o que nem sempre irá ocorrer) ou para as possíveis reações que gatos e cães terão com as vacinasclique aqui para ler sobre vacinação para pets.

Independentemente da profissão que escolha ou do tempo que levará para se formar (algumas demoram quatro ou cinco anos), o importante é se dedicar muito e se debruçar sobre as informações, pois saiba que, ao trabalhar com animais, ou melhor, “vidas”, muito sempre é pouco.

E então, o que você achou? Está ainda mais interessado nessa área? Venha participar da conversa e contar para nós sua opinião.